A nossa experiência O que nos torna diferentes? Assista o Video e descubra...

O ano de 1979, assinala os primeiros passos que deram origem ou o emergir da Assembléia de Deus do Bairro da Boavista em Luanda, posteriormente designado em Centro do N´gola Kiluanje, hoje em Temple-Sede "Ebenezer".

Rev. Fernando Manuel Panzo - Fundador do Ministério Ebenezer - Angola

A nossa História

O ano de 1979, assinala os primeiros passos que deram origem ou o emergir da Assembléia de Deus do Bairro da Boavista em Luanda, posteriormente designado em Centro do N´gola Kiluanje, hoje em Temple-Sede "Ebenezer".

Nesse tempo, com muita frequência o então Pastor Fernando M. Panzo e sua Esposa e companheira no Ministério, Irmã Constância Panzo, desenvolveram com muita dedicação e sacrifício o trabalho de evangelização à um grupo de trabalhadores da salga de peixe, no bairro em referência, muitas vezes iam de casa em casa levando a Boa Nova com literatura evangélica e os que de boa fé aceitavam a Palavra do Senhor começaram a agregar-se a estes preparando assim as condições para a fundação da Congregação.
No princípio de 1980, juntaram-se a eles alguns jovens dinámicos já um pouco experientes na fé, dentre eles detacaram-se os Irmãos:
- Arão Caville Vitang
- Miguel Paulo
- Armindo Faustino Mepia
- Campos de Oliveira

Deus começou a responder as nossas orações maravilhosamente salvando drogados, delinquentes etc eram libertados pelo poder de Deus.

Rev. Fernando M. Panzo

1981 Sala de Reuniões

Até 1981 reuniamos numa das salas da Empresa, onde em pouco tempo começou a tornar-se relativamente pequena para albergar o número de fiéis que aceitavam a Cristo em cada culto dado, a ênfase de salvação, cura divina e libertação.
Vimo-nos forçados a mudar para um outro recinto, num quintal duma irmã recém-convertida junto a beira-mar debaixo da sombra de duas figueiras que serviam de protecção da intensidade do calor e sol.
Em cada reunião, os milagres de libertação eram constantes. Os testemunhos dos que recebiam a sua libertação começou a espalhar causando grande impacto e em poucos mêses o quintal tornou-se pequeno.

Criadas as condições e dado a dimensão da obra de Deus, organizamos alguns departamentos:
- 1º. DPTO: CÍRCULO DE ORAÇÃO DAS MAMÃS
Presidente - Constância Augusto M. Panzo
Vice-Presidente - Filipa Lussinga Paulo
Secretária - Victória Albino e posteriormente juntou-se a irmã Esperança Joaquim M. Caville após a sua chegada do Huambo.

- 2º. DPTO: JUVENTUDE
Coordenador - Adriano Solino
Secretário Geral - José Alfredo Pedro
Secretário Geral Adjunto - Elias Manuel dos Santos

- 3º. DPTO: ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
Coordenador - Arão Caville - este Departamento em embrião, contava já com 15 Professores.

- 4º. DPTO: ALFABETIZAÇÃO
Coordenador - Pereira de Assunção

Cultos protagonizados em um quintal, para a Glória de Deus!

1980/81

1982 A Capela Católica da Boavista

Como já referimos, o quintal ficou pequeno, assim, localizamos as estruturas das instalações da Capela Católica parcialmente destruida (nos meados de 1974), junto a ex-casa Pia de Luanda, votada ao abandono. Fizemos os primeiros contactos junto as autoridades Municipais do Bairro que nos aconselharam a contactar a Direcção da Igreja Católica, visto ser sua pertença. Marcamos uma audiência com o Arcebispo que nos recebeu cordialmente aconselhando-nos a fazer o pedido por escrito afim de agilizar o aluguel do imóvel. O pedido foi feito aos 23 de Dezembro de 1981 e aos 29 de Janeiro de 1982 recebemos a resposta positiva para aluguer por um periodo de três anos.

1ª cruzada evengelistica na Capela, liderada por Rev. Fernado M. Panzo.

1982

1982 Os primeiros Baptismos

Em 30 de Maio de 1982, foram efectuados os primeiros Baptismos, tendo descido às águas cerca de 70 Irmãos de ambos os sexos.
Nessa cerimónia aproveitou-se a oportunidade para a consagração ou dedicação do novo Templo da Assembléia de Deus a nível da Província de Luanda.

Ordenação dos primeiros Obreiros

De acordo com a Palavra de Deus que diz: "A Seara é grande e poucos são os ceifeiros... (Mateus 9:37).

E como não podia deixar de serem cumpridas todas as formalidades exigidas para a consagração de Obreiros sob orientação divina aos 6 de Novembro de 1983, foram consagrados os seguintes Cooperadores:
- Arão Caville Vitang - à Evangelista
- Adriano Solino - à Evangelista
- Miguel Paulo - à Diácono
- Filipa Lussinga Paulo - à Diaconisa

1983 Autonomia da Congregação

Dado o crescimento da Congregação logo após a consagração do Obreiros, foi concedida a autonomia a Congregação da Boavista, passando a designar-se Centro autónomo.
Constituído que estava o Ministério local, o seu Líder máximo, ascendeu por Despacho do M.inistério local e Provincial o cargo de Pastor-Presidente o Reverendo Fernando Manuel Panzo e Representante Legal desde 1983 à 1993.

1985 O começo da turbulência!

Enquanto jubilavamos pelo progresso e prosperidade da Igreja, nessa euforia esquecemo-nos por completo que o prazo da entrega do imóvel estava chegando ao fim.
Foram criados vários departamentos de assessoria ao Ministério, e quanto menos esperavamos, recebemos uma nota da Direcção da Igreja Católica para entregar o imóvel na segunda quinzena de Janeiro de 1985, segundo o estipulado.

Desde a recepção do referido documento aos 9 de Janeiro de 1985, começou a verdadeira turbulência, a Igreja não estava preparada para abandonar o templo, mas, três anos se passaram muito rapido.

Aos 28 de Janeiro de 1985, entregamos a Capela para que se cumprisse a Palavra que diz "o vosso falar seja sim, sim e não, não"! Quase nos reduzimos a zero. De um Centro que era conhecido por todos os Obreiros agora só nos restavam os poucos bancos. Orientamos aos crentes no sentido de não desfalecerem na fé, os que quizessem ir para outros Centros da mesma confição de fé, nós dariamos as suas transferências para o efeito.
Não podiamos voltar para o antigo quintal em função do grande crescimento da Igreja, todos os contactos para o aluguer de um dos armazéns da Boavista não surtiram efeito. Percorremos vários Bairros para a aquisição de uma parcela de terreno mas as demarches, até o vento parece que era-nos contrário.

Assim sendo, deixamos de remar contra o vento e esperamos a resposta de Deus. Rumamos para a nossa Subcongregação de S. Pedro da Barra. Era deveras maravilhoso ver a determinação do Povo de Deus, todos foram unánimes, dizendo: "nós não abandonaremos o nosso Pastor e o seu Ministério, para aonde mudar-se a Congregação nós iremos juntos, ninguém vai mudar-se para outra Congregação có-irmã".

Todos os heróis da fé imortalizados em Hebreus 11 foram chamados tanto para o sacrifício quanto para o serviço. As pessoas marcadas por Deus para posições de influência em Seu trabalho caracterizam-se pela prontidão para renunciar preferências pessoais, e para sacrificar desejos legítimos e naturais por amor ao Reino de Deus.

Resposta de Deus!

Deus ouviu nossas orações, na primeira quinzena de Fevereiro de 1985, após vária sondagens para localizar uma parcela de terreno para nela construirmos o Templo, devido as construções anárquicas e a venda de terrenos ilegalmente por alguns cidadãos menos lúcidos a margem da lei, as nossas tentativas pareciam desvanecer-se. Mas graças a Deus, logo conseguimos granjear reputação junto das autoridades no primeiro contacto com o Governo Municipal e Comunal do Bairro Ngola Kiluanje, fui orientado a envidar esforços no sentido de localizar um terreno a nível do Município.

Voltei e falei com o Comissário para dar o ponto de situação do terreno que acabava de localizar. Assim, com o aval das autoridades, iniciamos o trabalho de vedação do terreno, na semana sequinte, arrancaram-nos todas a vedação destruindo quase tudo. Este episódio foi repetido por quatro vezes. Afinal, este era um terreno em letígio entre 3 cidadãos, e estes impediam a nossa construção a todo custo, mesmo com a situação regularizada por nossa parte.

Face as ameaças de morte informamos novamente as autoridades sobre o perigo que estavamos a enfrentar. Esse grupo de marginais infelizmente, foi também ameaçar o Comissário Comunal, caso ele intervisse no assunto, entendemos que a única solução era canalizarmos todas as queixas ao C.P.L. para equação do problema em referência.

O primerio Culto na Tenda

Munidos e credenciados de documentos de ocupação do terreno, montamos a nossa tenda de chapas de zinco, com as dimensões de 25mx12m aproximadamente. Aos 15 de Setembro de 1985, realizamos o nosso primeiro culto no novo terreno, tendo sido convidado a usar da Palavra o Irmão Júlio Evaristo e sua esposa Irmã Regina de Araújo; como é de hábito, antes da pregação do Evangelho foi dado lugar a Irmã Regina, que ensinou a Igreja um lindo corinho inspirado que diz: "Milagres, milagres, milagres só Jesus pode operar! O povo vai orando e Jesus vai operando sinais e maravilhas aqui neste lugar!".

Por incrível que pareça aos 7 de Setembro de 1985, veio um grupo de meleandros fortemente preparados e destruíram parcialmente a tenda. Tudo isso não nos desanimou, pois, já tinhamos os comprovativos da ocupação oficial do talhão de terreno.

O Púlpito e os assentos da Igreja

Não nos envergonhamos de dizer que no início dos trabalhos de Evangelização o nosso púlpito era feito de retalhos de um caixote de sabão. Até os nossos assentos eram de blocos de cimento.

Quando Deus opera num determinado lugar os crentes não se importam com o aspecto do recinto; eu prefiro assistir um culto onde Jesus Cristo é pregado com poder e autoridade do que estar num grande templo ornamentado, mas, sem a presença de Deus.

Rev. Fernando M. Panzo - 1985

1992 O arranque dos trabalhos da construção

A Igreja foi instruída em todas as suas dimensões para arcar a responsabilidade ao erguer o templo sacrificando-se mais nas contribuições, nas orações e jejum.

Aos 3 de Janeiro de 1992, na nossa primeira reunião do ano, foi apresentado aos membros do executivo que cooperavam no Ministério, o plano preliminar do arranque do construção do templo.

Aos 16 de Fevereiro de 1992, num grande culto de concentração com todas as subcongregações proclamamos oficialmente i início das obras do templo. Neste culto, usou a Palavra o Rev. Fernando M. Panzo, tendo como tema:"A Construção do Templo" (I Crônicas 29:1-22).